O Gabigol chegou no Benfica de Portugal. Será a chance dele chegar a seleção?

Futebol Europeu

Antes do início da temporada alguns analistas já previam que a temporada do Benfica não seria fácil após negociar nomes importantes do time titular do ano passado que conquistou por mais uma vez o Campeonato Português sem nenhum tipo de dificuldade: Ederson, Nelson Semedo, Lindelof e até Mitroglou deixaram os encarnados que não foram ao mercado com grande voracidade para encontrar peças de reposição para as saídas.

O resultado pode ser visto dentro de campo na atual temporada: apenas no terceiro lugar do Campeonato Português 5 pontos atrás do líder Porto com 8 rodadas passadas e fazendo muito, mas muito feio na Champions League onde foi derrotado em casa pelo CSKA Moscou e humilhado longe de seus domínios por 6×0 perdendo para o Basel na Suíça.

E se há algo bom para ser tirado neste início ruim de temporada fica apenas por conta do primeiro gol marcado por Gabigol com a camisa do Benfica, um dos principais reforços para esta temporada.

Gabriel Barbosa Almeida nasceu em São Bernardo do Campo no dia 30 de agosto de 1996 e desde muito jovem foi sempre apaixonado por futebol. Foi descoberto pelo craque Zito que o levou ao Santos após ver a equipe de futsal da Vila perder para o time do São Paulo onde Gabriel jogava por 6×1, com todos os gols sendo marcados pelo garoto.

Com a benção de Zito Gabriel Barbosa chegou ao Santos com apenas 8 anos de idade e fez história nas categorias de base da equipe da Vila Belmiro, onde marcou mais de 600 gols e ganhou este apelido que o acompanha até hoje, de Gabigol.

O jogador sempre foi considerado uma das maiores promessas do futebol nacional e desde os 14 anos é convocado para as seleções brasileiras de base, desde a categoria Sub-15 passando pelo Sub-17, Sub-20 e Sub-23, com quem conquistou no ano passado a inédita medalha de ouro olímpica no Rio de Janeiro.

Foi promovido para o time profissional do Santos em 2013 com apenas 16 anos de idade, e durante os seus primeiros seis meses como jogador do time teve a companhia de Neymar.

O talento de Gabigol é inegável, ainda que muitos tenham exagerado na avaliação do jovem que há anos possuía a multa rescisória de 50 milhões de euros em seu contrato. Wagner Ribeiro, seu empresário, chegou a fizer em uma oportunidade que o garoto “tem a perna esquerda do Ganso, a técnica do Neymar e a velocidade do Lucas”.

Este sucesso no futebol nacional sempre despertou o interesse de equipes do velho continente, e logo após os Jogos Olímpicos de 2016 Gabigol foi vendido para a Inter de Milão com status de uma das grandes contratações da equipe para a nova temporada.

Porém, com apenas 10 jogos e só 1 gol pelo time italiano a passagem de Gabigol pela Inter foi marcada muito mais por polêmicas fora de campo do que pelo bom futebol apresentado.

O jovem tentando recuperar espaço no cenário internacional foi emprestado para o Benfica no início desta temporada 2017-18 e chegou marcado também por polêmicas, como uma suposta briga com Jardel e o suposto interesse em voltar para o Santos em janeiro.

A única boa notícia até aqui foi o golaço marcado contra o Olhanense pela Taça de Portugal, que traz a esperança de que o jovem que ainda está apenas com 21 anos não tenha esquecido de como se joga o bom futebol.